Total de visualizações de página

Oportunidade mperdível!

Cursos Online com Certificado - Cursos 24 Horas

18 setembro 2010

MISSÃO DOS PAIS


(pode ser usado como mensagem)

Quando Deus te dá um filho, outorga-te a solene missão de moldar a argila mole, que animou com o milagre de seu sopro divino.
Nos sete primeiros anos de vida, tens de dar-lhe forma; dos sete aos quatorze, polimento.
Durante toda a sua vida, tens de depositar em seu interior o líquido da sabedoria e da temperança.
Tens de ensinar-lhe a ser obediente, pontual, disciplinado, pois tais qualidades lhe serão exigidas a todo instante.
Tens de despertar-lhe o amor ao trabalho, às ciências e à leitura, para que ele, sabendo dar, seja útil.
Tens de ensinar-lhe a renunciar, a sofrer com resignação, a crer na justiça divina, a perder e, principalmente, a vencer, para que ele, sabendo receber, possa receber sempre.
Tens de ensinar-lhe o valor do amor, da lealdade, dos sentimentos nobres, para que ele possa conhecer uma vida feliz e significativa.
tens de despertar-lhe o interesse pelas coisas do céu, para que ele não seja esmagado pelas misérias da terra.
Tens de transmitir-lhe o significado da vida, para que ele não subordine a sua existência ao temor à morte.
Ele é a semente que plantarás. o teu cuidado com ele irá refletir em tua colheita.
Se lhe deres instantes, farás dele um conhecido. Se lhe deres tempo, farás dele um amigo. Se o quiseres comprar favores materiais, ele verá em ti uma fonte de ganhos fáceis.
Se o conquistares com amor, serás para ele um PAI.

"Aquilo que o homem semear, isto também ceifará."
Gálatas 6:7

Decálogo de Pai


(pode ser usado como mensagem)

1 Constituirás tua família com amor, sustentando-a com o teu trabalho e dirigindo-a com energia e bondade.

2 Serás prudente nos negócios, pródigo no ensinar, zeloso em manter a autoridade materna, ponderado ao decidir, mas irrevogável em tuas decisões.



3 Terás para com tua esposa permanente solidariedade moral. Nela buscarás, sem nunca desatender aos seus conselhos.



4 Destruirás todos os erros em teu lar e qualquer desordem que nele apareça.

5 Faze com que haja sempre saldo, tanto nos afetos como nos negócios.



6 Aja de tal maneira que teus filhos vejam em ti, quando crianças, força que ampara; quando adolescentes, inteligência que ensina; quando homens, o amigo que aconselha.

7 Jamais comentarás a loucura de por em conflito ou em luta o poder paterno com o materno.



8 Afasta teus filhos do caminho do vício, ensinando-Ihes a vencer

com virilidade os males e as maldades da vida.



9 Estuda com atenção as aptidões de teu filho. Não lhe faças compreender que pode ser mais do que tu; coloca-o silenciosamente a caminho de sê-Io.



10 Vela para que ele seja tão robusto de corpo como são de inteligência. Faze dele um "homem" antes de fazê-Io um "Sábio'''.



QUANDO VOCÊS RECEBEREM ESTA MENSAGEM, MANDE A TODOS OS QUE VOCÊ QUEREM CONTINUAR A SUA
AMIZADE NO OCTO POP
- SE VC NAUM MANDAR PARA ALGUÉM... SIGNIFICA QUE NAUM QUER MAIS ESSA PESSOA COMO
SEU AMIGO... ENTENDEU?
- ENTAUM... MANDE DE VOLTA... INCLUSIVE PARA MIM... E ENVIE A TODOS DA SUA LISTA
OU AOS SEUS MELHORES AMIGOS...
- ASSIM... VC SABERÁ QUANTOS AMIGOS VC TEM MESMO.
- VOU FICAR ESPERANDO!!

_________________°PAz°
________________°União°
_______________°Alegrias°
______________°Esperanças°
_____________°Amor°Sucesso°
____________°Realizações°Luz°
___________°Respeito°harmonia°
__________°Saúde°solidariedade°
_________°Felicidade°-°Humildade°
________°Confraternização-°Pureza°
_______°Amizde°Sabedoria°Perdão°
______°Igualdade°Liberdade°Boasorte°
_____°Sinceridade-°Estima-°Fraternidade°
____°Equilíbrio-°Dignidade-°-Benevolência

O Propósito e o Âmago da Lei

'Moisés e o Êxodo'

Moisés nasceu aproximadamente em 1500 AC. Ele foi escolhido para tirar Israel da escravidão, e lhes entregar as leis de Deus. Quando o Livro de Êxodo começa, os hebreu moravam no Egito, e com o passar do tempo cresceram em número e o novo Faraó que não conheceu a José, escravizou os hebreus, com amarga escravidão. Os escravos hebreus, com o tempo, começaram a se reproduzir tão rapidamente que o rei se sentia ameaçado por uma revolta em potencial contra a sua autoridade. Então, ele deu ordens de que a mais nenhuma criança hebréia do sexo masculino poderia viver. Para salvar o pequeno Moisés, sua mãe fez uma cesta de papiro, e a impermeabilizou com asfalto e piche. Ela colocou Moisés no cesto, e o deixou-o e flutuando entre os juncos às margens do Rio Nilo. Pela providência de Deus, Moisés - filho de escravos hebreus - foi encontrado e adotado pela princesa egípcia, a filha do Faraó, sendo criado no palácio real como príncipe dos egípcios: "E Moisés era instruído em toda a sabedoria dos egípcios, e era poderoso em palavras e obras" (Atos 7:22). Ao mesmo tempo, o Senhor determinou que Moisés deveria ser ensinado em sua infância, pela sua própria mãe. Isto significa que, ele foi instruído na fé de seus pais, embora sendo criado como um egípcio (Ex. 2:1-10). Moisés foi educado na civilização mais adiantada daquele tempo. O seu treinamento foi projetado para o preparar para um alto cargo, ou até mesmo o trono do Egito. Ele ficou familiarizado com a vida na corte de Faraó, com toda a pompa e grandeza da adoração religiosa egípcia. Foi educado na escrita e nas literatura do seu tempo. Também aprendeu a administração e a justiça. Quando tinha 40 anos, Moisés se indginou com um feitor egípcio que estava batendo em um escravo hebreu; e ele matou o egípcio e o enterrou na areia (Ex. 2:12). Quando isto ficou conhecido, ele temeu por sua própria vida, e fugiu do Egito para a terra do deserto de Midiã, onde ele se casou uma das filhas de Jetro, passando então a cuidar dos rebanhos de Jetro.Depois de aproximadamente 40 anos, Deus falou a Moisés de uma sarça que ardia, mas não se consumia. Deus mandou Moisés de volta para o Egito, para resgatar os hebreus da escravidão, para a terra prometida a Abraão. Deus demonstrou o Seu poder para Moisés e revelou a Ele o Seu Santo Nome "YHVH " ou " Yaweh " (Jeová se tornou uma pronuncia popular no 16º século por tradutores alemães, embora não há nenhum som para o " J " em Hebraico).


As consoantes hebraicas Yod (Y) Eh (H) Vav (V ou W) Eh (H), ou Yahweh, na
Catedral de Winchester. YHWH é chamado o Tetragrammaton, significado do
grego "quatro letras". Os escribas de masoréticos omitiram as vogais, assim
ninguém pronunciaria este Nome Santo. (Jeová se tornou uma pronunciação
popular no 16º século por tradutores alemães, embora não há nenhum som "J" no Hebraico).

O Mishnah estabeleceu a regra "No santuário, o nome de Deus será pronunciado
na Benção Sacerdotal como é escrito: YHVH, mas fora do santuário deve ser
parafraseado e pronunciado como Adonai."

Deus ungiu Arão para ir com Moisés, para ser o seu porta-voz. Eles, então, convenceram o povo de Israel para os seguir, mas, Faraó não lhes deixaria ir.





Tradição Judaica

O Midrash dá o relato da primeira entrevista que aconteceu entre Faraó e Moisés e Arão. Quando o rei egípcio lhes perguntou, " Quem é seu Deus para que eu deva ouvir a sua voz? eles responderam, "O universo está cheio do poder do nosso Deus. Ele existiu antes que o mundo fosse criado, e Ele continuará a existir quando o mundo acabar. Ele te formou e colocou em ti fôlego da vida. Ele estendeu os céus e pôs os fundamentos da terra. A Sua expele chamas de fogo, rasga as montanhas, e quebra as pedras. O seu arco é fogo e as chamas são as suas flechas. A sua lança é uma tocha, e ele se cobre com as suas nuvens, e o relâmpago é a sua espada. Ele formou as montanhas, as colinas e os cobriu com a relva. Ele faz cair as chuvas e o orvalho, e faz com que brotem as pastagens. Ele também forma o embrião no útero da mãe, e permite que se torne um ser vivente." (Exod. R. v. 14).

Então Deus enviou as 10 pragas aos egípcios. A última praga foi a morte dos primogênitos em toda casa, cujas portas não estavam marcadas com o sangue. Quando as pragas do juízo foram todas lançadas, o Egito estava devastado. As pragas não só escarneceram do orgulho dos egípcios, mas também escarneceu dos seus deuses, porque nenhum lhes podia ajudar. A 10ª praga golpeou os egípcios.

1. Primeira Praga: Sangue
2. Segunda Praga: Rãs
3. Terceira Praga: Piolhos
4. Quarta Praga: Moscas
5. Quinta Praga: Peste nos Animais
6. Sexta Praga: Úlceras
7. Sétima Praga: Saraiva
8. Oitava Praga: Gafanhotos
9. Nona Praga: Escuridão
10. Décima Praga: Morte dos primogênitos

Todas as outras pragas reunidas não lançaram fora os hebreu da escravidão, mas a décima praga tocou em todo o Egito, e matou à meia-noite os seus primogênitos, inclusive o de Faraó.

Ex 12:29-31 " E aconteceu, à meia noite, que o SENHOR feriu a todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais. E Faraó levantou-se de noite, ele e todos os seus servos, e todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. Então chamou a Moisés e a Arão de noite, e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide, servi ao SENHOR, como tendes dito."

Para os egípcios foi uma tragédia e um embaraço quando o Deus dos Hebreus fez uma exibição aberta à vista de todos, da sua superioridade.

Deus ordenou que os Israelitas celebrassem a " Páscoa" onde o anjo da morte poupou as casas que tinham o sangue de um cordeiro.

Ex 12:1-14
"E FALOU o SENHOR a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo: Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. Mas se a família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro. O cordeiro, ou cabrito, será sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras. "

   


A ovelha era reconhecida por sua gordura, rabo carnudo.

A cor de sua lã normalmente era branca, marrom ou às vezes
as pernas e a cabeças pretas. As ovelhas eram descritas como
bondosas, não teimosas, temerosas, sem defesa, pacientes,
sofredoras, e eram abundantes em Israel.

" E o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o sacrificará à tarde. E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão. Não comereis dele cru, nem cozido em água, senão assado no fogo, a sua cabeça com os seus pés e com a sua fressura. E nada dele deixareis até amanhã; mas o que dele ficar até amanhã, queimareis no fogo."

" Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR. E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o SENHOR. E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito. E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo."


Tradição Judaica

Pesach

A Páscoa (Pesach) é a festa da libertação. O Pesach é uma combinação de 2 palavras, peh que significa boca, e sach - que pretende falar. De acordo com a tradição judaica, a escravidão era tão severa, que eles eram obrigados a trabalhar e se manter calados. E eles deviam manter silêncio sobre o seu Deus. Na noite de Páscoa os judeus ficaram livres e então foi-lhes permitido falar d'Ele e louvá-lO livremente.

Ex 15:1-2 "ENTÃO cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR, e falaram, dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. O SENHOR é a minha força, e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai, por isso o exaltarei."

A Páscoa Moderna

Nos lares judaicos de hoje, a cerimônia da Páscoa é celebrada anualmente. A cerimônia é chamada de um Seder que literalmente quer dizer "a ordem" da cerimônia. Hoje, o ritual que foi projetado para os lembrar da amarga escravidão dos seus antepassados no Egito, a tremenda libertação que Deus lhes deu, é relatado no livro de oração chamado de Haggadah. A mesa do banquete é decorada com artigos festivos que estimularão perguntas que contarão toda a história de Páscoa. Os artigos são:

Água salgada e Verdura (Representando a vida que vai adiante - a primavera).

Um Osso Assado (recordando o Cordeiro Pascal).

Pão sem fermento ou Matzos (Comido durante toda a semana).

Ervas amargas ou Moror, como rabanete (para os lembrar da amargura da escravidão).

Maçãs, castanhas e vinho, ou Haroseth (a mistura de cores os lembra do barro do qual são feitos os tijolos e a doçura do gosto, simbolizando a esperança de liberdade que adocicou a escravidão).

As crianças fazem quatro perguntas acerca da cerimônia de Páscoa, pois esta era uma noite diferente de todas as outras:
1. Por que em todas as outras noites nós comemos pão fermentado ou matzah e nesta noite nós comemos só matzos?
2. Por que em todas as outras noites nós comemos todo tipo de verduras e nesta noite nós só comemos ervas amargas?
3. Por que nesta noite nós mergulhamos as ervas na salmora, e ervas amargas em haroseth?
4. Por que em todas as outras noites nós comemos sentados ou reclinados, e nesta noite nós comemos em pé? (Antigamente um homem comia o jantar dele, sem pressa, reclinado à mesa).

Meshiach Y'shua Jesus Nossa Páscoa

1 Cor 5:7 "... Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós."

1 Pedro1:18-19 " Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado."

O Novo Testamento ensina que o Egito era um tipo do mundo, e Faraó um tipo de Satanás, e a escravidão egípcia era um tipo do pecado, e o Cordeiro Pascal fala de Jesus, nosso Cordeiro Pascal que morreu em nosso lugar, e pelas suas pisaduras nós somos curados. O Anjo da Morte ignorou a casa dos hebreus pois viu o sangue que apontava ao Messias que um dia seria entregue, e morreria pelo seu povo.

Os escritos Rabínicos mostravam que o Messias, na Sua vinda, conquistará a morte [Pesikta Rabbah 161b].

Hb 2:14-15 " E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão."

 

Depois, Faraó finalmente cedeu e deixou o povo de Israel sair, (e com toda a riqueza do Egito), mas assim que eles partiram, Faraó mudou de idéia. Ele enviou o seu exército atrás de Israel, que estava acampado diante do Mar Vermelho. Deus separou as águas e os levou em solo seco.

Ex 14:21-22

"Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o SENHOR fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas. E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda."
Faraó conduzindo as suas tropas em uma carruagem de guerra. Ao seu lado estavam carruagens quebradas e soldados agonizantes. A carruagem de guerra era um poderoso intrumento de guerra no Egito em 1700 AC. Cada carruagem tinha um motorista e um tripulante que lutava, armado com um arco, lanças, e proteção.

Então as águas se precipitaram sobre os exércitos de Faraó:

Ex 14:28-29

"Porque as águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nenhum deles ficou. Mas os filhos de Israel foram pelo meio do mar seco; e as águas foram-lhes como muro à sua mão direita e à sua esquerda."

Os Israelitas eram guiados pela Shekinah, a misteriosa nuvem de glória que os conduziu no Monte Sinai. No caminho foi provada a fé deles, pois experimentaram intenso calor, fome, sede, e guerra. Deus fez muitos milagres inclusive o "maná", o pão que veio do céu.

Tradição Judaica

O deserto era um lugar de miséria e morte com uma temperatura que às vezes alcança mais de 120 graus. Sem o Senhor, os judeus nunca teriam sobrevivido à isto. Depois da libertação do Egito, e da cruel escravidão, os judeus tiveram que enfrentar o castigo do amargo frio, e do calor devastador do deserto. Eles sobreviveram por causa da nuvem de glória protetora que pairou por cima deles de dia e de noite. Durante a Festa das Cabanas (Heb. Sukkah), os judeus faziam pequenas cabanas protetoras ou barracas, para lembrar-se dos perigos que eles enfrentaram, durante a Festa das Cabanas. De acordo com tradição judaica, Sukkah, é o mizvah que celebra o cuidado divino do Senhor, e as letras da palavra Sukkah são um acróstico para:

somekh - apoiando     kol - tudo

ha'noflim - que se caem

Sl 145:14 " O SENHOR sustenta a todos os que caem, e levanta a todos os abatidos."

Tenho a mania de:



- Não resistir a um bom chocolate


- Chorar quando estou nervosa


- Gostar de desafios


- Ler vários livros ao mesmo tempo


- Pintar e misturar cores

Ser criança é ser livre

É falar sem pensar

É dizer e sentir

É esperar e descobrir

É brincar sem ter medo

É correr e às vezes cair

É experimentar e perguntar

É rir, mas também chorar

É esperar sempre o melhor

É conhecer o desconhecido

É procurar o amor e ser aceite

É nunca desistir de ser feliz

É sempre acreditar no sonho encantado

É ver as cores do arco-íris

É nunca deixar de ser criança

É simplesmente ser livre

Oração da Criança

Elizabeth Lisboa

Querido Professor

Ajuda-me agora, para que te
auxilie depois.
Não me relegues ao esquecimento,
nem me condenes a ignorância ou a crueldade.
Venho ao encontro da tua aspiração, de teu convívio, da tua obra.
Em tua companhia estou nas condições de argila nas mãos do oleiro.
Hoje sou sementeira, fragilidade, promessa... Amanhã, porém, serei
tua própria realização.
Corrige-me com amor, quando a sombra do erro envolver-me o caminho,
para que a confiança não me abandone.
Protege-me contra o mal. Ensina-me a descobrir o bem onde estiver.
Não me afastes de Deus e ajuda-me a conservar o amor e o respeito que
devo ás pessoas, aos animais, e as coisas que me cercam.
Não me negues tua Boa Vontade, teu carinho e tua paciência.
Tenho tanta necessidade de teu coração quanto a plantinha tenra precisa
de água para prosperar e viver.
Dá-me tua bondade e dar-te-ei cooperação.
De ti depende que eu seja pior ou melhor amanhã.

 

 

Caros amigos, peço que leiam e repassem esse e-mail. É um relato de uma
professora sobre a realidade da escola pública. Sem o apoio da mídia, só nos
resta a internet para divulgar o que acontece.

PROFESSOR – UMA ESPÉCIE EM EXTINÇÃO

Por Verônica Dutenkefer (20/06/2009)

Esse texto que escrevo precisamente agora é mais um desabafo.

Desabafo de uma profissional que está lecionando há mais de 22 anos e que
não sabe se sobreviverá por mais dez anos, que é o tempo que ainda
precisará trabalhar (por mais que ame muito o que faz).

Trago comigo muitas perguntas que não querem calar. E talvez a mais
inquietante seja: O que será necessário acontecer para se fazer uma reforma
educacional neste país????

Constantemente, ouço ou leio reportagens com as autoridades educacionais
proclamarem a má formação de seus professores. Culpando as universidades, a
falta de cursos de formação e culpando-nos, evidentemente.

questionamentos:

Como um professor de escola pública pode fazer o seu trabalho se ele precisa
ficar constantemente parando sua aula para separar a briga entre os alunos,
socorrer seu aluno que foi ferido por outro aluno, planejar várias aulas
para se trabalhar os bons hábitos, na tentativa vã de se formar cidadãos
mais conscientes e de melhor caráter?

Nos cursos de formação nos é passado constantemente a recusa de um programa
tradicional e conteudista, mas nossas avaliações de desempenho das escolas,
nossos vestibulares e concursos públicos
ainda são tradicionais e nos
cobram o conteúdo de cada disciplina.

Como pode num país.....num estado...num município haver regras tão
diferentes entre a rede particular e pública?

Na rede particular as escolas continuam conteudistas, há a seriação com
reprovação, a escola pode suspender ou até mesmo expulsar um aluno que não
esteja respeitando as regras daquela instituição.

A rede pública vive mudando o enfoque pedagógico (de acordo com o partido
que ganhou as eleições), é cobrado cada vez menos do aluno, não se pode
fazer absolutamente nada com um aluno indisciplinado que até mesmo coloca em
risco a segurança de outros alunos e funcionários daquela instituição.

Dia a dia...minuto a minuto... os professores são alvos de agressões verbais
e até mesmo físicas pelos alunos. A cada dia somos submetidos a níveis de
stress insuportáveis para um ser humano.

Temos que dar conta do conteúdo a ser ensinado + sermos responsáveis pela
segurança física de nossos alunos + sermos médicos + enfermeiros +
psicólogos + assistentes sociais + dentistas + psiquiatras + mãe + pai
......

E, quando ameaçados de morte, se recorremos a uma delegacia pra fazer um
boletim de ocorrência ouvimos: "Isto não vai adiantar nada!"

Meus bons alunos presenciam o mal aluno fazendo tudo o que não pode ser
feito e não acontecendo nada com ele. É o exemplo da impunidade desde a
infância..

Meus bons alunos presenciam que o aluno que não fez absolutamente nada
durante o ano, passou de ano como ele, que se esforçou e foi responsável.

Houve um ano que eu tinha um aluno que era muito bom. E ele começou a faltar
muito e ir mal na escola. Os colegas diziam que ele ficava empinando pipa ao
invés de ir pra escola. Um dia, tive uma conversa com ele, e perguntei o que
estava acontecendo? E ele me disse: "Prá que eu vou vir prá escola se eu vou
passar de ano mesmo assim?"

Então eu procurei aconselhar (como faço com meus alunos até hoje) que ele
devia frequentar a escola, não para tirar notas boas nas provas ou passar de
ano. Ele deveria vir à escola para aumentar seu conhecimento que é o único
bem que ninguém poderá roubar.Que a escola iria ajudá-lo a aprender e trocar
conhecimentos com os outros e ajudá-lo a dar uma melhor formação na vida..

Depois dessa conversa ele não faltou mais tanto...mas nunca mais voltou a
ser o excelente aluno que era.

Qual a motivação de ser bom aluno hoje em dia?

Seus ídolos são jogadores de futebol que não falam o português corretamente
e que não hesitam em agredir seus colegas jogadores e até mesmo os árbitros.
Ensinando que não é necessário haver respeito às autoridades e aos outros.

Ou são dançarinas que mostram seu corpo rebolando na televisão e pousando
nuas para ganhar dinheiro.

Para quê eu me matar de estudar se há tantas profissões que não são
valorizados e nem respeitadas? ??

Conheci (e ainda conheço e convivo) ao longo de minha carreira na escola
pública
, inúmeros profissionais maravilhosos. Pessoas que amam a sua
profissão, que se preocupam com seus alunos, que fazem trabalhos
excepcionais. Que possuem um conhecimento e formação excelentes, mas que
estão desgastados e quase arrasados diante da atual situação educacional.

Li, há poucos dias, num artigo que os cursos de filosofia, matemática,
química, biologia e outros todos ligados à área de magistério não estão
tendo procura nas universidades.

Lógico!!!!!Quem é que quer ser professor??? ??????

Quem é que quer entrar numa carreira que está sendo extinta, não só pela
total desvalorização e respeito, mas também pela falta de segurança que
estamos enfrentando nas escolas?

Fiquei indignada com uma reportagem na TV (que aliás adora fazer reportagens
sensacionalistas colocando o professor sempre como vilão da história) em que
relatava que numa escola um aluno ameaçava os outros com um revólver e, num
determinado momento, o repórter perguntou:"Onde estava o professor que não
viu isso??!!"

E agora eu pergunto: "O que se espera de um professor (ou de qualquer ser
humano), que se faça com uma arma apontada pra você ou pra outro ser
humano??? Ah...já sei...o professor deveria enfrentar as balas do
revólver!!!! Claro!!! As universidades e os cursos de aperfeiçoamento de
professores não estão nos ensinando isso..

Vocês tem conhecimento de como os professores de nosso país estão
adoecendo??? ?

Vocês sabem o que é enfrentar o stress que a violência moral e física tem
nos submetido dia a dia?

Você sabe o que é ouvir de um pai frases assim:

"Meu filho mentiu, mas ele é apenas uma criança!"

"Eu não sei mais o que fazer com o meu filho!"

"Você está passando muita lição para meu filho, e ele é apenas uma criança!"

"Ele agrediu o coleguinha, mas não foi ele quem começou."

"Meu filho destruiu a escola, mas não fez isso sozinho!"

Classes super lotadas, falta de material pedagógico, espaço físico
destruído, violência, desperdício de merenda, desperdício de material
escolar que eles recebem e, muitas vezes, não valorizam (afinal eles não
precisam fazer absolutamente nada para merecê-los), brigas por causa do
"Leve-leite" (o aluno não pode faltar muito, não por que isso prejudica sua
aprendizagem, mas porque senão ele não leva o leite.)

Regras educacionais dissonantes de acordo com a classe social dos alunos.

Impunidade.

Mas a educação não vai bem, por causa do professor..

Encerro esse desabafo com essa pergunta que li há poucos dias:

Essa pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

O BOM NESTE PAÍS É SER POLITICO. APOSENTA-SE COM 8 ANOS DE "TRABALHO(?) ", E
QUE SALÁRIO!!! (sem contar que não precisa grande formação acadêmica pra
isto, infelizmente...)

O importante da amizade

O importante da amizade não é conhecer o amigo;
e sim saber o que há dentro dele!...

Cada amigo novo que ganhamos na vida, nos aperfeiçoa e enriquece, não pelo que nos dá, mas pelo
quanto descobrimos de nós mesmos.

Ser amigo não é coisa de um dia. São gestos, palavras,sentimentos que se solidificam no tempo
e não se apagam jamais.

O amigo revela, desvenda, conforta.
É uma porta sempre aberta em qualquer situação.

O amigo na hora certa, é sol ao meio
dia, estrela na escuridão.

O amigo é bússola e rota no oceano,
porto seguro da tripulação.

O amigo é o milagre do calor humano
que Deus opera no coração.

 


Olha Deus falando contigo!
Nada e nem ninguem passará
por cima de você
Tu és Vaso do Senhor
nada ficará como está
Chegou o tempo em que o Senhor
tem olhado pra você
O Tempo de Deus movendo céus e
terra em teu favor
O Tempo de fechar a boca do Leão
O Tempo de Deus entrar
na fornalha contigo
O Tempo de você orar e parar o Sol
O Tempo de Você Tocar na Rocha
Ela produzir água
O Tempo de Você profetizar os
Ossos se ajuntarem
O Tempo de Você Colocar seu cajado
no mar ele se abrir
O Tempo de você Andar sobre Aguas
O Tempo de você multiplicar os pães
O Tempo de Deus nascer em ti
O Tempo de satanás ver o
brilho da Glória de Deus
Deixe o Tempo de Deus se Cumprir
Tudo que Ele prometeu Ele cumprirá.

Confissões de Lúcifer

 

Confissões de Lúcifer

Vale e pena investir alguns minutos na leitura e na meditação...


Depois de passar 6.000 anos vagueando pela Terra, aprendi muito da natureza humana, suas fraquezas, virtudes e seus desejos mais secretos.

Tenho consciência que minha causa foi derrotada, entretanto estou trabalhando freneticamente para levar ao destino que me aguarda o maior número possível de pessoas, pois sei que pouco tempo me resta.

Não é fácil a vida de um adversário do Todo Poderoso, principalmente porque Ele conta com um exército fiel espalhado pelo mundo inteiro que com suas orações produzem uma reviravolta em todo mal que intento. Felizmente são poucos os que oram de verdade, porque a maioria está mais preocupada consigo mesma, outros começam bem, me incomodam, mas logo desistem, pois não têm perseverança.

Fico admirado com o fascínio que exerço sobre alguns crentes, que falam mais de mim que de Deus. Rio muito quando eles tentam me amarrar, e dizem que naquela cidade eu não entro mais. Pois acaba a oração e eu continuo fazendo as mesmas estripulias. O que esses cristãos não entendem é que não devem lutar contra mim, mas buscar Aquele que tem mais poder que eu. Quando eu quase destruí a vida de Jó, ele não me dirigiu uma palavra sequer, mas dizia o tempo todo que sua causa estava diante de Deus, e que o seu Redentor vive. Quando humilhei Paulo colocando-lhe um espinho na carne, ele não tentou me acorrentar, mas apresentou sua fraqueza a Deus, que lhe deu vitória. Sinceramente, com gente assim não dá pra lutar.

Tenho prazer especial em atormentar esses que ficam preocupados comigo o dia todo. Eles dizem que me vêem em todos os lugares, até onde eu nem estou.... é muito engraçado. Com tais eu nem me previno, pois sei que são cristãos inseguros da fé que dizem possuir. Eles fazem parte daquele grupo que faz uma boa propaganda de mim, pois julgam que possuo muito mais poder do que realmente tenho e afirmam que fiz coisas das quais nada tive a ver. Na verdade, eu sou um pobre diabo, condenado e derrotado, mas da forma que falam, é como seu fosse onisciente e onipotente. Será que eles não sabem que eu não posso fazer absolutamente nada sem a permissão do Todo Poderoso? Ah, se não fosse por Ele.... mas, tudo bem, a propaganda é a alma do negócio.

Sou constantemente acusado de tirar muita gente da igreja. É mentira! Eles saem por que são levados pelos seus próprios interesses. Não fui eu quem instigou o filho pródigo a sair da casa do pai e Demas abandonou o apóstolo Paulo porque amou mais o mundo do que a Deus.

Não tenho pretensão de tirar ninguém da igreja, pelo contrário. Quero deixá-los lá, pois farei de tudo para que sejam frios, apáticos, que fiquem brigando entre si por bobagem, que se dividam, e façam panelinhas entre eles. No que depender de mim farei com que tenham uma vida tão miserável, que quando forem evangelizar ninguém vai querer ter uma vida igual a deles. Outra estratégia que uso muito é a de fazer com que os valores da igreja se pareçam cada vez mais com o mundo, pois assim quando as pessoas passarem a freqüentá-la, elas não precisarão mudar nada, e continuarão fazendo as mesmas coisas de antes. Não é genial?

Adoro soprar mentiras nos ouvidos das pessoas, afinal quero fazer jus ao meu nome de "pai da mentira". É, eu digo-lhes que são como gafanhotos e eles acreditam, digo-lhes que são uns derrotados e eles nem se levantam da cama, digo-lhes que Deus não os perdoou por tal e tal pecado e eles ficam cheios de culpa.

Confesso também que sinto um enorme prazer em oprimir aqueles que se recusam a perdoar ao seu irmão, pois recebi carta branca do Todo Poderoso para atormentá-los com toda sorte de espíritos malignos, dos quais eu sou o principal. E não ponham a culpa em mim, pois só posso fazer isso se o cristão recusar a liberar perdão, pois quando ele perdoa é horrível a sensação de paz daquele coração, e eu saio correndo dali.

Acho muito engraçado quando usam sal grosso e oração forte contra mim. Nem ligo. Agora, o que eu temo mesmo é uma vida santificada. Contra um crente santificado, fiel e que tem a Palavra guardada no coração, desse eu fujo.

Como minha hora se aproxima eu estou trabalhando num projeto grandioso para este século. É uma estratégia tão ardilosa que são poucos os que a percebem. Todos buscam uma divindade para adorar, por isso eu estou dando "Deus" de todos os tipos e para todos os gostos. Eu estou enchendo o mundo de "Deus" para que eles fiquem tão confundidos que não saibam quem é o verdadeiro. Cada um pode ter o seu, do jeito que quiser. Vocês não imaginam como o povo gosta dessas novidades. Tenho queimado as pestanas inventando sacrifícios, novos rituais, e tenho levantado líderes que falam muito de Jesus, mas são meus súditos. Adoro soprar ventos de doutrinas porque os meninos na fé acreditam em tudo.

O meu objetivo com isso? Confundi-los e fazê-los imaginar que estão servindo a Deus. Agora, eu não aceito levar a culpa de tudo sozinho - eu só dou o que eles querem. Eles gostam do brilho, eles buscam glória pra si, eles crêem em todas as formas de misticismo, e eu nunca imaginei que esse povo gostasse tanto de ídolos. Séculos atrás lhes dei um bezerro de ouro, mas agora eles querem ídolos que cantam, que pregam, que profetizam....

Muitos falam que eu sou feio, e até pintam quadros horríveis dizendo que eu tenho chifres, pêlos e cara de bode. Desde a minha criação sou muito vaidoso e jamais aceitaria ser desta forma. Se vocês ouvissem aquele tal apóstolo Paulo saberiam como eu sou de verdade - sempre fui um anjo de luz, fala mansa, voz agradável, boa aparência e muito convincente. Felizmente são poucos os que me reconhecem.

Para terminar, eu quero dizer a todos que não sou ateu ou agnóstico. Eu creio e tremo diante de Deus. Mas eu não consigo, não consigo me submeter. Submissão significa obediência, e eu não quero ser servo. Aliás, tem muita gente indo comigo que também crê em Deus, pratica seus atos religiosos, freqüenta igreja, e é dessa mesma opinião.

Autoria:
Pr. Daniel Rocha
Pastor da Igreja Metodista e psicólogo

Hino Nacional Brasileiro

Hino Nacional Brasileiro (2)

História, origem e composição

Enciclopédia ilustrada da Folha

O Hino Nacional Brasileiro é executado em continência à Bandeira Nacional e ao presidente da República, ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal, assim como em outros casos determinados pelos regulamentos de continência ou cortesia internacional.

Sua execução é permitida ainda na abertura de sessões cívicas, nas cerimônias religiosas de caráter patriótico e antes de eventos esportivos internacionais.

A música do hino é de Francisco Manuel da Silva e foi inicialmente composta para banda. Em 1831, tornou-se popular com versos que comemoravam a abdicação de Dom Pedro 1º. Posteriormente, à época da coroação de Dom Pedro 2º, sua letra foi trocada e a composição, devido a sua popularidade, passou a ser considerada como o Hino Nacional Brasileiro, embora não tenha sido oficializada como tal.

Após a Proclamação da República, os governantes abriram um concurso para a oficialização de um novo hino, ganho por Leopoldo Miguez. Entretanto, com as manifestações populares contrárias à adoção do novo hino, o presidente da República, Deodoro da Fonseca, oficializou como Hino Nacional Brasileiro a composição de Francisco Manuel da Silva, estabelecendo que a composição de Leopoldo Miguez seria o Hino da Proclamação da República.

Durante o centenário da Proclamação da Independência, em 1922, finalmente a letra escrita pelo poeta e jornalista Joaquim Osório Duque Estrada tornou-se oficial. A orquestração do hino é de A. Assis Republicano e sua instrumentação para banda é do tenente Antônio Pinto Júnior. A adaptação vocal foi feita por Alberto Nepomuceno e é proibida a execução de quaisquer outros arranjos vocais ou artístico-instrumentais do hino.

 

Hino da Independência do Brasil

Ao ser composto, o Hino da Independência do Brasil não tinha este nome. Nem sua música era a mesma que hoje é cantada nas comemorações da semana da pátria. O hino que homenageia nossa separação de Portugal tem uma história interessante, que vale a pena ser conhecida.
Quem o compôs foi o fluminense Evaristo Ferreira da Veiga e Barros (1799-1837), que era livreiro, jornalista, político e poeta. Com a fundação da Academia Brasileira de Letras, em 1897, Evaristo da Veiga tornou-se o patrono da sua cadeira de número 10.
A maior parte da composição que se inicia com os versos "Já podeis da pátria filhos" é anterior ao grito do Ipiranga e data de agosto de 1822. Favorável à independência, Evaristo da Veiga escreveu o poema que intitulou "Hino Constitucional Brasiliense" e o fez publicar.
O poema agradou o público da Corte, o Rio de Janeiro, e foi musicado pelo então famoso maestro Marcos Antônio da Fonseca Portugal (1760-1830), que havia sido professor de música do jovem príncipe dom Pedro - imperador Pedro 1º, após a proclamação da Independência.

Dom Pedro compositor Sendo um amante das artes musicais, dom Pedro, em 1824, afeiçoou-se pelos versos de Evaristo da Veiga e resolveu compor ele mesmo uma música para o poema, criando assim aquele que se tornaria o Hino da Independência. Não se sabe ao certo a data em que foi composta, mas a melodia de dom Pedro passou a substituir a de Marcos Portugal, oficialmente, em 1824.

A participação do imperador foi tão valorizada que, durante quase uma década, não só a autoria da música, mas também a da letra lhe foi atribuída. Evaristo da Veiga precisou reivindicar os seus direitos, comprovando ser o autor dos versos em 1833. Seus originais se encontram hoje na seção de manuscritos da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

Idas e voltas Com a abdicação de dom Pedro 1º, a Regência, o Segundo Reinado e - principalmente - a proclamação da República, o Hino da Independência foi sendo gradativamente deixado de lado. Somente em 1922, quando do centenário da Independência, ele voltou a ser executado. No entanto, na ocasião, a música de dom Pedro foi posta de lado, sendo substituída pela melodia do maestro Portugal.

Foi durante a Era Vargas (1930-1945), que Gustavo Capanema, então ministro da Educação e da Saúde, nomeou uma comissão para estabelecer definitivamente os hinos brasileiros de acordo com seus originais. Essa comissão, integrada entre outros pelo maestro Heitor Villa-Lobos, houve por bem restabelecer como melodia oficial aquela composta por dom Pedro 1º.

Dor, febre, tosse e espirro: é gripe ou resfriado?

Entenda a diferença entre essas duas doenças!

Em um dia de inverno, Gustavo acordou com dor de cabeça, garganta inflamada, febre alta, espirrando e tossindo sem parar. Sua mãe sentenciou: "É gripe!". O pai de Gustavo foi mais cauteloso "Que nada, não passa de resfriado...". Aí, o menino ficou embaralhado. "Ué, e tem diferença?", pensou. Mal sabe Gustavo que gripe e resfriado não são a mesma coisa, embora compartilhem algumas características.

Os vírus que afetam as vias respiratórias – como o nariz e a garganta – são muitos e têm nomes complicados: rinovírus, vírus sincicial, influenza, parainfluenza... "O influenza A e o B, com seus subtipos, causam a gripe. Todos os outros são responsáveis por resfriados e outras infecções respiratórias", explica a médica Clélia Aranda, da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.

Para nós, a diferença principal entre gripe e resfriado é a intensidade dos sintomas. Se, em um dia, você começou a espirrar, no outro, sua garganta doía e, depois, apareceu tosse e um pouco de febre, saiba que isso pode ser apenas um resfriado. Ele vem "aos poucos" e seus sintomas são mais brandos. Na gripe, as dores são mais fortes, temos febres mais altas e o vírus ataca de uma vez. De um dia para o outro, ficamos gripados. Foi o que aconteceu com Gustavo!

É do inverno que eles gostam mais

Vale lembrar que, de tão pequenos, os vírus só são vistos com a ajuda de um microscópio, mas circulam entre as pessoas por todo o ano. É no inverno que temos mais chance de entrarmos em contato com eles, porque, para nos protegermos do frio, ficamos com mais frequência em ambientes fechados e não-ventilados, o que facilita a contaminação. A mudança de temperatura também enfraquece nosso corpo, que não consegue combater tão bem esses invasores. Quando estamos infectados e tossimos ou espirramos, liberamos no ar gotículas com os vírus, que podem chegar a outras pessoas.

Aliás, sabia que os cientistas ficam de olho, durante o ano, nos vírus que causam as gripes mais fortes, o influenza A e o B? Isso porque o influenza A já provocou epidemias, matando milhares de pessoas, pois é capaz de sofrer mutações: alterações, mudanças. Neste ano, ao observar o vírus para saber como ele estava se comportando, os pesquisadores descobriram um tipo novo: o da gripe A/H1N1, causada por uma mutação do influenza A. Para tentar evitar que ela se espalhe, escolas no Brasil adiaram a volta às aulas após as férias

 

 

 

História biblica para crianças




Duas Casas (Mateus 7-24 ao 29)

Oração: Senhor Deus, abençoa este encontro e todos que aqui estão. Abençoa esta semana que se inicia e a todos a quem amamos. Amém!

Estória – As duas casas

Certo dia, Jesus contou uma estória sobre duas casas bem bonitinhas, muito parecidas, construídas na beira do mar.
De longe ninguém percebia; nem de perto era fácil perceber a diferença entre as casas...
A diferença entre essas duas casas é que uma foi construída sobre uma rocha, uma pedra firme, bem segura... A outra foi feita na areia bem macia e fofa.
Duas casinhas tão bonitas, na beira do mar...
Um dia, veio uma chuva muito forte; um temporal... Com muitos raios, trovões. Caiu muita água...
Mas logo, o vento começou a acalmar, a chuva foi diminuindo, e o céu foi clareando novamente.
Mas, e as casas? Vejam só! Uma caiu, e a outra ficou firme. Qual será que foi levada para o mar?
A casa construída na pedra não caiu.
Mas a que estava na areia... no primeiro ventinho, se partiu!
Jesus contou esta estória. Sabem o que ele queria dizer com esta estória?
Que assim acontece com a gente também. Quem escuta a boa notícia que é o Reino de Deus, mas não muda sua vida, não faz a vida mudar, é como aquele que constrói a casa na areia, uma casa que cai fácil; é uma pessoa sem juízo...
Mas quem constrói a vida em uma rocha firme, que é Deus, agüenta firme os problemas, tem força para lutar, continuar... Quem tem Deus como fundamento é como aquele que construiu a casa sobre a rocha: é sábio!

Oração final: Querido Deus, dá-nos sabedoria para sermos como o homem que construiu a casa sobre a rocha. Pedimos também que sejas o fundamento de nossas vidas, amparando-nos para não cairmos por causa de qualquer ventinho. Amém!

Sugestão de atividades:

  1. Esta estória permite que seja feita uma atividade de colagem com areia, palitos e papel crepom, representando o cenário da estória (a beira mar e as casas).
  2. Pode também ser feita a atividade a seguir, com as crianças maiores.






As duas casas


  1. Onde foram construídas as casas?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. O que aconteceu com cada casa?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  1. Qual foi a comparação que Jesus fez entre os construtores das casas e as pessoas?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Peça teatral a ovelha perdida

A OVELHA PERDIDA

 

Oração: Peça a uma criança para fazer uma oração.

 

Estória – A Ovelha perdida

 

Na estória de hoje, Jesus está reunido com todos os publicanos (cobradores de impostos) e pecadores. Os publicanos eram muito mal vistos pelo povo, pois roubavam na hora de cobrar os impostos. Naquela época, falar em publicano era a mesma coisa que falar em pecador, eram palavras usadas como sinônimos. Jesus está pregando e os pecadores estão ouvindo. Os fariseus (membros de um grupo religioso que obedecia as leis judaicas ao pé da letra) e os escribas (doutores da lei ou os teólogos da época) não podiam concordar com aquela cena: Jesus falando com pecadores. Segundo a lei judaica, alguém que diz seguir os mandamentos de Deus jamais poderia entrar em contato com pecadores. Como, então, Jesus, que se diz Filho de Deus, pode estar conversando com pecadores. Naquela época pensava-se "quem conversa com pecadores, também se transforma em pecador". E Jesus, para explicar por que ele também conversa com aqueles considerados pecadores, conta uma estória: da ovelha perdida.

Nesta estória, Jesus fala de um pastor de ovelhas (que na época também eram muito discriminados, pois eram considerados ladrões, pecadores), que tinha 100 ovelhas. Jesus conta a estória como se o pastor de ovelhas fosse Deus e as ovelhas fossem os seres humanos.

Este pastor tinha muito trabalho para cuidar do seu rebanho, pois sempre tinha que contar suas ovelhas para ver se não faltava nenhuma. Um dia, ele sente falta de uma de suas ovelhas. Ele conta e reconta o rebanho várias vezes, mas só consegue achar 99 ovelhas. E o pastor fica muito triste, pois falta uma ovelha. Para o pastor, cada ovelha é muito especial. Portanto, ele resolve prender as 99 ovelhas que estão perto dele e vai procurar aquela que falta. Ele só consegue descansar na hora em que ele encontra a ovelhinha perdida.

Quando Jesus contou esta estória, ele queria nos dizer que é melhor um pecador arrependido, do que alguém que se faz de conta de santinho. Também que qualquer um de nós pode ser uma ovelha perdida, mas Deus nunca vai nos abandonar.

 

Sugestão de atividade:

 

Textura (instruções a serem dadas às crianças):

Coloque várias folhas de árvore ou mato, de tamanhos diversos, uma ao lado das outras, como se estivesse fazendo um mato.

Coloque uma folha de ofício sobre as folhas e passe o giz de cera deitado por toda a folha. Isto imprimirá a textura das folhas no papel.

Pegue pedacinhos de algodão e cole no "mato", de forma a ter uma ovelha na "mata".

Samuel- história bíblica

História bíblica

Samuel foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. Homem de profunda piedade e discernimento espiritual dedicava-se totalmente à realização dos propósitos de Deus para o bem de Israel. Embora não descendesse da linha genealógica de Arão, sucedeu a Eli no cargo sacerdotal. Ao que parece, foi o primeiro a estabelecer uma instituição para o preparo dos jovens que desejavam abraçar a vocação profética. Viu-se na contingência de guiar a Israel em algumas das mais profundas crises de sua história; no desempenho de suas funções quase alcança a estatura de Moisés. Deus nunca pretendeu que Israel tivesse outro rei além dEle. Mas o povo começou a olhar para outros povos e a desejarem um rei. Podemos afirmar que a vida do povo de Deus pode ser resultado de sua vontade diretiva ou permissiva, isso vai depender da escolha; ele foi comissionado para ungir a Saul, o primeiro rei, e a Davi, o maior dos reis de Israel. Samuel significa literalmente:"Seu nome é Deus", ou, "Nome de Deus". Seu significado contextual significa: "Pedido de Deus" ou "do Senhor o pedí".

Judaísmo

Exceto pela tradição judaica e pela Bíblia, não há muitas fontes disponíveis sobre a sua existência. Portanto, é a partir dos livros que levam seu nome que se conhece sobre sua vida e sua importância na história de Israel

A promessa de Ana

A história biblica refere que Ana, mãe de Samuel, sofria de esterelidade, o que lhe era motivo de grande humilhação, já que Penina, a outra esposa de seu marido Elcana, tinha filhos.

Certa vez durante os dias do sacrifício anual ao Senhor, Ana, humilhada por Penina sua rival, se pôs a orar com grandes dores no templo. Sentindo-se amargurada, Ana orou com lágrimas e fez um voto com Deus, prometendo que seu filho seria um nazireu e serviria no templo. Sua oração foi tão íntima e cheia de fé que Ana não dizia palavra alguma comunicando-se com Deus apenas com as intensões de seu coração. Porém, os seus lábios mexiam-se ao ponto do levita Eli a repreender achando que ela estivesse embriagada.

Ana, ao ser advertida pelo sacerdote defende-se dizendo que não havia provado vinho ou qualquer bebida forte, mas que estava derramando seu coração ao Senhor por estar muito aflita. O sacerdote se compadece dela e lhe abençoa dizendo: "Vai em paz; e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste."

Então, conforme o pedido de Ana, Deus lhe deu Samuel como filho, para que ela não fosse mais humilhada, e ela cumpriu a promessa em consagrá-lo desde criança ao sacerdócio.

Entregue ao templo

Samuel, ainda jovem, foi entregue ao sacerdócio, "ministrava perante o Senhor" (I Samuel 2:18) Existe alguma ambiguidade nas opiniões no que diz respeito ao tipo de trabalho que Samuel efectuava no Templo. Existe quem defenda que este foi entregue ao templo com voto de Nazireu.

Nomeado profeta

Samuel era conhecido como correto, ao contrário do que se dizia dos filhos de Eli, que cometiam sacrilégios, e haviam sido amaldiçoados.

O relato conta de uma profecia de um profeta desconhecido, dizendo a Eli que Deus já havia escolhido um novo sacerdote para tomar seu lugar (que seria, portanto, Samuel).

Ainda na juventude, Samuel começou a manifestar dons proféticos, sonhando com palavras e visões divinas. Sua primeira profecia constava da confirmação de que Eli e seus filhos seriam retirados do sacerdócio.

A morte de Eli

Os filisteus invadiram e venceram Israel, e capturaram a Arca da Aliança. No processo, os filhos de Eli Hofni e Finéias morreram, e fazendo ele menção da arca de Deus, caiu da cadeira onde estava sentado, quebrando seu pescoço e assim morrendo, cumprindo a profecia de Samuel, confirmando-o como portador da palavra divina.

Samuel reaparece apenas 20 anos depois, quando a Arca já havia sido devolvida e encontrava-se em Quireate-Jearim, como uma figura de primeira importância junto ao povo. Sua orientação teria causado a vitória de Israel sobre os filisteus. Samuel aparece realizando sacrifícios, e diz-se que "julgava a Israel" (I Samuel 7:15), dando a entender que se tratava de um juiz. I Samuel 8:1 também diz que Samuel fez de seus filhos, Joel e Abias, Juízes de Israel também, embora não seguissem os passos de seu pai.

A orientação de Samuel parece ter tido grande importância para os israelitas, que o viam tanto como sacerdote e profeta, como juiz e administrador. Em sua velhice, representantes do povo vieram lhe pedir que escolhesse um rei para governar Israel, visto que seus filhos não estavam qualificados para seguir como juízes. Samuel teria consultado a Deus antes de confirmar a demanda, alertanto os israelitas quanto aos direitos de um rei sobre seus súditos e suas terras.

Pouco tempo depois, o jovem Saul, da Tribo de Benjamim, veio ao encontro de Samuel. Um dia antes, Deus revelara ao velho profeta que Saul seria ungido rei. No dia seguinte, Samuel assim o fez, e o orientou para que visse sinais e os seguisse, e Saul os seguiu. Samuel convocou representantes de todo Israel a Mispa e declarou publicamente o jovem benjamita como rei.

Velho e cansado, e com um rei para liderar os israelitas, Samuel se retirou de suas funções. Porém, quando Saul tentou realizar um sacrifício por conta própria, Samuel o repreendeu, e predisse sua queda. Antes da consumação desta profecia, Samuel ainda o orientou a atacar os amalequitas, provavelmente um povo nômade da Península Arábica.

Enquanto Saul começava a enfrentar derrotas em batalha e problemas pessoais, Samuel profetizou a vida de Jessé e seus filhos, e que um deles seria ungido rei de Israel. Samuel ungiu o mais novo, Davi, e o colocou em contato com Saul (Davi repreendi com autoridade de Deus o espírito mau da parte de Deus que atormentava Saul tocando sua harpa). Este deve ter sido um dos últimos atos de Samuel, que morreu antes que Davi fosse confirmado rei.

Discussões

A ausência de fontes confiáveis extra-bíblicas sobre a vida ou os atos de Samuel suscita discussões[quem?] sobre sua própria existência real. A história de Samuel liga o final do período dos Juízes (quando líderes tribais lideravam isoladamente parte das tribos de Israel contra inimigos específicos, e não havia uma união em torno de um rei) e o início do período monárquico. Estilisticamente, o próprio Samuel é o elo entre os juízes e os reis, sendo o último juiz que ungira o primeiro rei, justificando, norteando, e dando sentido a autoridade real sobre Israel.

O primeiro livro de Samuel parece ter sido escrito no início do período monárquico (durante o reinado de David ou Salomão, pois quando Israel vence os filisteus, diz-se que "os filisteus foram abatidos e nunca mais vieram aos termos de Israel" (I Samuel 7:13), embora mais tarde, quando Judá e Israel (ou Samaria) tornaram-se reinos independentes, os filisteus voltaram a atacar com sucesso. Portanto, no momento em que o livro foi escrito, Samuel era uma personalidade ainda recente de sua história - um personagem fictício de tamanha importância localizado em um tempo recente teria tirado toda a credibilidade do relato frente ao povo, o que seria indesejável pois são os atos de Samuel que fundamentalizam a existência da própria autoridade real. Esta é a principal evidência de que este personagem tenha realmente existido.

A Samuel se atribui a autoria dos dois livros que levam seu nome, embora o profeta venha a falecer antes do final do primeiro volume.

"Então Samuel tomou uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor." (1 Sm 7:12)

I. O SÁBIO QUE NOS ENSINA A VIVER A SABEDORIA

A. A história da vida de Samuel expõe diante de nós inúmeras e preciosas lições.

1) Sua mãe chamava-se Ana. Era mulher de oração e de fé em Deus. (1 Sm 1:9-18)

a. Não tendo filhos, pediu ao Senhor que lhe desse um filho varão,

b. e fez um voto, prometendo que se fosse atendida, ela o consagraria ao próprio Deus, para ser um profeta, um instrumento nas mãos divinas em favor do povo de Israel.

2) A mulher casada e sem filhos, segundo a Palavra de Deus1 Sm 1:1-8

a. sentia-se frustrada,

b. e muitos julgavam que ela estava sendo desprezada pelo próprio Deus.

c. E que havia profunda consideração pela bênção, pelo privilégio da maternidade.

d. Deus criou o homem para ser monógamo, para ter uma só esposa, mas houve a decadência humana e surgiu a poligamia. Gn 2:18-25

i. Elcana, por exemplo, possuía duas mulheres, Ana e Penina.

ii. Esta tinha filhos e atenazava o coração de Ana.

iii. Com a revelação divina, Cristo, a monogamia foi-se restabelecendo. Mt 19:3-9

B. Ana foi atendida por Deus,

1) Samuel nasceu

a. foi consagrado inteiramente ao Senhor, cumprindo-se o extraordinário voto.

2) Em Israel tinha-se como um tesouro de imenso valor a dádiva de um filho, e por isso Ana, em oração de ação de graças e em êxtase poético, louvou a Deus, dizendo: "O Senhor é o Deus da sabedoria e por Ele as obras são pesadas na balança. Até a estéril teve sete filhos. O Senhor é o que tira a vida e a dá." (1 Sm 2:1-10)

3) É extremamente importante lembrar que Ana, além de Samuel, ainda teve três filhos e duas filhas, como riqueza de bênçãos em sua vida. (1 Sm 2:21)

a. O número sete no texto significa muitos, e não exatamente sete.

II. O SÁBIO QUE NOS ENSINA A VIVER O TEMOR AO SENHOR

A. Samuel teve um chamado especial de Deus,

1) ao qual respondeu com humildade: "Fala, Senhor, porque o teu servo ouve."

2) Tornou-se depois o maior e o mais sábio juiz em Israel.

a. Não era um guerreiro,

i. mas pela oração ao Deus Altíssimo, venceu os filisteus, os mais terríveis inimigos do povo de Israel, como diz o texto: "A mão do Senhor foi contra os filisteus, todos os dias de Samuel"

b. Foi por isso que Samuel levantou uma pedra em Mispa,

i. qual um monumento memorial, chamando a essa pedra de Ebenézer,

(i) que significa a pedra da ajuda,

(ii) dizendo após as suas vitórias: "Até aqui nos ajudou o Senhor."

c. Em sua missão profética (1 Sm 3:1-10; 7:3-17)

i. foi o mestre de Israel,

(i) percorrendo vários lugares, fixando-se neles por algum tempo,

(ii) dirigindo,

(iii) julgando,

(iv) ensinando, qual uma luz no meio daquele povo.

d. Sua missão

i. foi instalar a monarquia em Israel, ungindo a Saul como rei.

ii. Samuel, então, resigna o seu cargo.

e. Desde a sua mocidade até à velhice,

i. foi o servo de Deus,

ii. o juiz,

iii. o profeta,

iv. o mestre,v. o amigo,

vi. o pai de todo o povo de Israel.

f. E ainda prometeu orar pelo povo e ensinar-lhe o caminho bom e direito… (12:1-25)

A VIDA E MINISTÉRIO DO PROFETA SAMUEL

I Sm 3:1-10

INTRODUÇÃO: Ao estudarmos a vida ou biografia dos grandes homens da

bíblia ou do mundo secular, descobrimos e entendemos que todos eles tiveram

características que marcaram a sua vida. Exemplos: Noé (justo), Daniel

(oração e disciplina), Gideão (trabalho), José (Domínio dos desejos), Abraão

(obediência e fé) etc.

Estudar sobre a vida, chamada e ministério do profeta Samuel é com

certeza muito inspirador e gratificante

I. SAMUEL E A SUA INFÂNCIA

A. Uma infância na casa de Deus I Sm 2:18;

B. Uma infância observada por sua mãe I Sm 2:19;

C. Uma infância com crescimento abençoado I Sm 2:26.

II. A CHAMADA DE SAMUEL

A. Deus chamou Samuel antes que a lâmpada de Deus no Templo se

apagasse I Sm 3:3-4;

B. Uma chamada pessoal I Sm 3:4;

C. Uma chamada repetida I Sm 3:8;

D. Uma chamada atendida I Sm 3:10.

III. A CONFIRMAÇÃO DO SACERDÓCIO DE SAMUEL

A. Samuel confirmado pelo Senhor I Sm 3:19;

B. Samuel confirmado diante de Israel (pelo povo) I Sm 3:20;

C. Samuel confirmado pela palavra I Sm 3:21 I Sm 3:1 Mat 24:35.

IV. AS SETE PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DO PROFETA

SAMUEL

1. Samuel era obediente I Sm 3:9;

2. Samuel era atento I Sm 3:10;

Muitos perdem grandes oportunidades e bênçãos de Deus, pelo fato

de não serem atentos Ex: Marta;

3. Samuel era disposto ou diligente I Sm 3:16;

4. Samuel era leal e sincero I Sm 3:17-18;

5. Samuel era progressivo I Sm 3:19 I Sm 2:26;

6. Samuel era honrado por Deus (privilegiado) I Sm 3:19;

Obs: Samuel era prudente no falar (só falava se tivesse convicção

que Deus o honraria);

7. Samuel era distinguido ou conhecido como profeta de Deus I Sm

3:20.

A árvore da turma

# A árvore da turma: Construir com papel pardo um tronco de árvore, as " folhas " serão pratos de plástico com a marca da mão da criança com guache, seu nome e uma palavra ou frase sobre a natureza, este cartaz deve ficar exposto para os pais.
# Com sucata construir roupas e outros objetos utilitários, com bandeja de isopor (fundo de pizza ou fundo de carnes) construir quadros para os pais enfeitarem a parede. Depois fazer um leilão das obras de arte para arrecadar fundos para a escola.
# Campanha de conscientização no bairro, visitar as casas e conversar com os moradores sobre desperdício de água para lavar calçadas ou carros e sobre a coleta seletiva de lixo ( a ABEPAN fornece panfletos e os horários dos caminhões para a coleta de lixo reciclável). Cada turma fará uma limpeza na escola e em torno da mesma, os menores recolhem lixo do pátio e em volta a escola, os maiores podem fazer a volta na quadra.
# Escrever uma carta para o prefeito solicitando uma lata de lixo grande com a separação dos lixos, para ser colocada na frente da escola e servir toda a comunidade.
# O projeto pode ser encerrado no dia da árvore, juntamente com uma campanha conscientizando os motoristas sobre os perigos do trânsito. Um lugar ideal é em frente aos bombeiros, conversar no Detram com a Fabiana, ela oferece vários azuizinhos além de barreiras para que as crianças fiquem seguras na hora de conversar com os motoristas. Sugiro solicitar mudinhas de árvores frutíferas na ABEPAN, para entregar aos motoristas, juntamente com a seguinte frase: " Cada flor que nasce, cada criança que chega ao mundo, traz a grande notícia: Deus ainda não está cansado dos homens. PRESERVE A NATUREZA". Colocar a logomarca da escola em cada mensagem.


GINÁSTICA HISTORIADA

Cada criança deve dramatizar a história, na medida em que a educadora vai narrando, alguns podem ser a menina, outros a sementinha, outros a chuva e outros o solzinho, ou as crianças podem ser a sementinha, enquanto a educadora dramatiza os personagens restantes.

Era uma vez uma menina que se preocupava muito com as plantinhas, certo dia ela cavou um buraquinho na areia bem fofa, dentro dele colocou uma linda sementinha, ( agora as crianças serão a sementinha). A sementinha era bem pequenina e estava toda encolhidinha, como que se estivesse sentindo muito, muito frio, mas ficou paradinha ali na terra fofinha como se estivesse dormindo. De repente começou a sentir uma sensação muito agradável, a sementinha então, se sentia protegida. Logo pela manhã o sol chegou, seus raiozinhos aos poucos penetraram a terra e aqueceram a sementinha, que acordou com o calorzinho. Quando veio a chuva suas gotinhas fininhas penetraram a areia fofinha e deram um gostoso beijinho na sementinha, feliz, a sementinha começou a erguer seus bracinhos, procurando pelas gotinhas de chuva e pelo calorzinho do sol. Aos poucos a plantinha começa a ganhar folhinhas.
A noite chega e a lua prateada joga o orvalho para a plantinha, que logo estica suas folhinhas para recebê-lo e é saudada pelas estrelas. Cada dia que passava, a plantinha crescia mais, mais e mais. Suas raízes ficaram profundas, bem dentro da terra, seu caule estava grande e forte e sustentava muitas folhas, toda vez que ventava ela segurava as folhinhas para lá e para cá... ( Utilizar a música a sementinha, Beto Hermann)

A SEMENTINHA: ( Jograu)

Era uma vez uma sementinha... Tão pequenina e tão simplesinha,
Com carinho foi plantada e com amor foi cultivada.
De repente o que aconteceu?
Uma plantinha de lá nasceu. Uma bela árvore agora vai se tornar
Junto conosco ela vai crescer, bons amigos iremos ser!!!

História bíblica !!!

 

 

 

 

 

    

 

KEVIN APRENDE A OBEDIÊNCIA

(Escrituras: Ef. 6:1; Isa. 1:17a; Prov. 20:11; II Cor. 6:12)

1- "Kevin, é hora de almoçar!" Mamãe chamou. "Venha lavar as mãos."

"Um instante", Kevin respondeu. Mas, a verdade é que dez minutos tinham passado antes de Kevin levantar-se e entrar em casa.

O triste fato é que cada vez que Kevin era chamado para fazer qualquer coisa, sempre respondia: "Um instante." E sempre demorava. (Obs.: "Um instante" pode ser substituído por "Espera um pouquinho")

Kevin era um menino muito simpático, com cabelo ruivo e grandes olhos castanhos; tinha o rosto e braços pintadinhos de sardas. Estava sempre alegre assobiando, sorrindo e louquinho para brincar.

2- No verão anterior, Kevin tinha freqüentado a Escola Bíblica de Férias, onde havia aprendido que ele era um pecador e que precisava do Senhor Jesus para salvá-lo do pecado. (Professor se há crianças não salvas na sua classe, tome tempo aqui para explicar o caminho da salvação, usando o Livro Sem Palavras).

Kevin tinha convidado Jesus para entrar em seu coração. Agora, ele queria agradar a Jesus em tudo. Mas, mesmo com Jesus no coração, Kevin continuava com o mesmo costume de responder "um instante", quando mamãe o chamava. Na sua opinião, aquilo que estava fazendo no momento era muito mais importante do que a coisa que a mamãe queria que fizesse.

3- Ás vezes mamãe queria que Kevin lhe ajudasse, cuidando da irmãzinha durante pouco tempo. E Kevin sempre respondia, "Um instante mamãe." Quando ela queria que guardasse seus brinquedos, arrumasse o quarto, tirasse o lixo, pusesse a mesa ou buscasse alguma coisa na venda, Kevin sempre respondia da mesma maneira: "Um instante mamãe."

Para o papai, a mesma resposta. Se era para dar comida para o cachorro, ajudar a capinar o jardim, trazer o martelo, era sempre: "Um instante papai." Parecia que Kevin falava "um instante" mas vezes do que qualquer outra coisa! Estava tão interessado naquilo que andava fazendo que não reconhecia que, agindo desta maneira, estava sendo egoísta e desobediente.

Desobediente aos pais e também a Deus. Como muitas outras crianças, Kevin queria sua própria vontade, sem ninguém interrompê-lo.

Não fazia diferença se era de levantar-se ou ir para a cama, hora de ir à escola ou a igreja, tempo de trabalhar, hora de escovar os dentes, lavar as mãos ou qualquer outro dever. Em toda e qualquer situação sempre a mesminha resposta tão conhecida: "Um instante!" Vocês estão percebendo que Kevin tinha um costume muito ruim não é verdade?

Claro que seus pais estavam preocupados com aquilo. Tinham procurado de todas as maneiras mostrar-lhe que era muito errado agir assim. Até deram-lhe algumas palmadas, mas Kevin logo se esqueceu. Depois como castigo, não permitiram que Kevin convidasse seus amiguinhos para brincar no quintal durante vários dias.

Também ele não podia sair para brincar fora. Mesmo assim, nada adiantou. Não sabiam o que fazer mais para melhorar a situação, mas estavam orando e pedindo ao Senhor Jesus que lhes mostrasse como poderiam ensinar seu filhinho a ser mais obediente. (Prov. 22:6)

Num lindo dia de verão, a mãe de Kevin chamou-o várias vezes para fazer seus deveres se casa, recebendo sempre a resposta costumeira: "Um instante mamãe." E agora, na hora do almoço, estava chamando-o para lavar as mãos, e ouviu novamente: "Um instante mamãe."

"Ó Pai Celeste", mamãe orou, "mostra-me o que devo fazer para ajudar Kevin. Logo vai entrar na escola e, se não souber obedecer prontamente, vai ser difícil para ele. Ele é um bom menino, Senhor. Muito obrigada por meu filhinho. Mas, Senhor, faz-me saber como ensinar a obediência."

4- "Aqui estou mamãe! Que há para o almoço?" Kevin perguntou da porta. Mamãe virou-se. Lá estava ele, sorridente, mas com suas roupas sujas e bastante lama nos sapatos.

5- "Kevin, faz dez minutos que chamei para que você viesse e se arrumasse para o almoço. Por que não atende quando a gente chama? Veja só seus sapatos e roupas! Você sabe perfeitamente que está sendo malcriado quando fica demorando, como sempre faz, antes de obedecer," mamãe repreendeu-o seriamente.

"Mas mamãe," Kevin respondeu, "eu estava ocupado quando a senhora me chamou, tinha que terminar o que estava fazendo."

"Pois bem Kevin, outros também estão ocupados, não é verdade? Você não deve pensar também nos outros? Sabe Kevin Deus não fica contente e a mamãe não gosta quando você age desta maneira. A palavra de Deus diz que a desobediência é pecado. Por favor, filho, procure lembrar-se disto e obedeça imediatamente no futuro."

6- Depois do almoço, Kevin saiu novamente. Com que poderia brincar? Olhou para a macieira... Por que não brincar de "Tarzan"? A macieira não era realmente o mato e as selvas, mas ele poderia fazer de conta... Buscou uma cadeira da cozinha e, subindo conseguiu alcançar com as mãos o primeiro galho da árvore. Pulando para cima e balançando os pés, conseguiu arrastar-se em cima do galho. Depois, esticou-se, puxando e subindo, foi bem alto.

A mãe vendo Kevin trepado na árvore, gritou: "Kevin, cuidado! Você não pode descer daí sozinho. Quando quiser descer, me chame que irei ajudá-lo."

"Está bem mamãe; aviso à senhora." Kevin respondeu.

O menino brincou durante algum tempo, olhando os cachorros e gatos e pessoas nos quintais vizinhos. Viu também um cabrito, e fez de conta que ele era um grande rinoceronte com chifres enormes. Claro que ele mesmo era o Tarzan, forte corajoso, proto para pular de uma árvore para outra, através do mato, e salvar a vida de qualquer um que estivesse em perigo.

7- Estava realmente se divertindo. Mas de repente, viu o sorveteiro entrar em sua rua.

"Opa! Quero um sorvete de chocolate!" ele gritou, preparando-se para descer. Foi quando olhou para baixo e viu que estava bem mais alto do que tinha imaginado. A idéia de descer enchia-o de medo, e logo resolveu que o jeito era mesmo, chamar a mamãe. "Mamãe, mãe... vem me ajudar. O sorveteiro está chegando e quero um sorvete. Depressa, mãe!" mamãe enxugou as mãos e foi indo em direção a porta, assim com qualquer mãe faria. De repente, antes de abrir a porta ela pensou: "Ele não está em perigo, pode esperar um pouco. Talvez, se eu não atender logo, Kevin vá entender como prejudica aos outros quando não atende prontamente."

"Um instante filho!" Mamãe respondeu e continuou seu trabalho.

 

8- Kevin gritou novamente, bem mais alto desta vez: "Mamãe estou com pressa! O sorveteiro está passando. Por favor mãe!"

"Um instante Kevin. Logo termino e então vou ai." Respondeu mamãe, sorrindo com seus botões.

Kevin dava ponta-pé na árvore, gritando e começando a chorar, mas nada aconteceu. Mamãe, espiando pela janela, viu que ele não corria perigo e, assim, não se apressou. Tudo ficou em silêncio. O sorveteiro já tinha virado a esquina. Sua voz ainda soava de longe: "S-O-R-V-E-T-E", mas já estava no outro quarteirão.

Calmamente mamãe saiu da porta e dirigiu-se para a árvore. Olhando para cima disse: "Agora querido, já terminei. Vamos descer?"

9- Em pouco tempo Kevin estava no chão, mas tinha lágrimas descendo pela suas facas pintadinhas de sardas.

"O homem já passou" ele reclamava entre soluços. "A senhora fez com que eu perdesse o sorvete, justamente quando eu queria tanto tomar um sorvete. Por que não veio quando lhe chamei?"

"Uai, meu bem, eu lhe disse um instante, assim como você sempre responde para mim," mamãe respondeu, mantendo sua voz e o rosto sério.

De repente Kevin parou de chorar e virou-se para ela, com os olhos arregalados. "Assim que a senhora e o papai ficam quando eu não atendo?" Ele perguntou.

"É sim filho. Você está percebendo como é desagradável esperar e como prejudica a gente?"

"Desculpe mamãe. Vou fazer esforço para nunca mais responder "um instante". Vou procurar atender logo que a senhora me chamar."

10- "Que ótimo Kevin! Você não acha que devemos pedir a Jesus que Ele ajude você a obedecer, mesmo quando queira continuar com aquilo que está fazendo?"

Ali mesmo, debaixo da macieira, Kevin e sua mãe se ajoelharam. Kevin pediu perdão ao Senhor Jesus por ter sido egoísta e por não ter obedecido prontamente aos seus pais. Pediu também que Jesus o ajudasse a obedecer no futuro.

Ao levantarem, mamãe disse: "Vamos lá dentro Kevin. Se não me engano, temos sorvete de chocolate no congelador."

11- De fato havia sorvete de chocolate, e mamãe deu um sorvete duplo para Kevin, dentro de uma casquinha. Sorriram um para o outro, e mamãe tinha certeza de que Kevin estava entendendo e aprendendo a lição de obediência.

Você sempre obedece prontamente à mamãe e o papai? Deus manda aos filhos que sejam obedientes aos pais. (Ef. 6:1)

E quem ainda não recebeu Jesus como Salvador, está desobedecendo ao convite: "Vinde a Mim." (Mt. 11:28) A Bíblia diz em II Cor. 6:2, "Eis agora o dia da salvação." Você não deve deixar para mais tarde. Se ainda não recebeu Jesus como seu Salvador e quer recebê-lo hoje, venha conversas comigo agora no fim da aula, quando as outras crianças vão saindo. Quero ajudar a orar, convidando Jesus para ser seu Salvador.

Talvez haja alguém que queria agradar a Jesus durante esta semana passada, mas você falhou assim como Kevin fazia. Você não quer entregar-se inteiramente ao Senhor Jesus, pedindo que Ele lhe dê a vitória sobre o pecado e faça sua vida semelhante à vida dELE? Se você quer, também poderá ficar para conversar comigo durante uns minutos.